Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

O primeiro sistema solar integrado do mundo que gera electricidade e calor

Mäyjo, 26.12.14

O primeiro sistema solar integrado do mundo que gera electricidade e calor

Nos subúrbios de Sydney, Austrália, uma simples casa pode estar perto de entrar para a história da indústria da energia solar, ao ser-lhe instalado o primeiro sistema solar integrado, que gera electricidade e calor. O dispositivo, colocado no telhado da habitação, combina vários painéis solares ultrafinos com um sistema de ductos de energia solar térmica, que aquecem e arrefecem o ar do interior da casa.

As camadas superiores produzem electricidade a partir do sol, tal como se de um painel fotovoltaico normal se tratasse, ao passo que o calor que fica armazenado entre as camadas dos painéis é distribuído pela casa.

O novo sistema solar integrado foi desenvolvido pela Bluescope, uma empresa metalúrgica. O desenvolvimento e produção da nova tecnologia foram feitos com a ajuda de fundos governamentais, nomeadamente da Australian Renewable Energy Agency. “Estas primeiras instalações são um importante passo para que a tecnologia possa ser comercializada e competir com os painéis fotovoltaicos convencionais”, afirma Ivo Frischknecht, presidente-executivo da entidade governamental, cita o Inhabitat.

Este sistema solar integrado pode eventualmente reduzir os custos de energia e de instalação, melhorar a eficiência energética do edifício e reduzir os picos de procura na rede eléctrica.

Campanha da SPV mostra as diversas formas de separar os resíduos de embalagem

Mäyjo, 25.12.14

Campanha da SPV mostra as diversas formas de separar os resíduos de embalagem

Neste Natal, a Sociedade Ponto Verde mostra aos portugueses as muitas formas de separar e de reciclar. Seja através da utilização de ecobags, da reutilização de caixas, de recipientes, ou de sacos coloridos, segundo a SPV, o mais importante é levar todos os resíduos até ao ecoponto. É esta a mensagem principal da campanha que a Sociedade Ponto Verde estreia nesta época festiva em rádio e imprensa.

“A época que atravessamos é pródiga ao nível da geração de resíduos. No entanto, com o contributo de toda a população, há formas de minimizar o impacto que estes têm no ambiente, como o uso de papel de embrulho reciclado e de decorações natalícias duráveis, a não utilização de loiça e talheres descartáveis e, como não poderia deixar de ser, a separação e a deposição dos resíduos de embalagens no ecoponto adequado, nomeadamente o vidro que, nesta altura das festas, é muito utilizado”, explica Luís Veiga Martins, director-geral da Sociedade Ponto Verde.

A necessidade de manter a sensibilização para a reciclagem foi uma das razões que levou a Sociedade Ponto Verde a lançar esta campanha nesta altura do ano. Depois de utilizadas, as embalagens usadas deverão ser separadas e transportadas até ao ecoponto mais próximo utilizando ecobags, sacos de lixo coloridos ou, entre outros, sacos reutilizáveis. A campanha alerta para as muitas formas que existem para separar as embalagens para contribuir de forma positiva para o ambiente e para a criação de riqueza para o País.

De forma a incentivar a separação doméstica de embalagens usadas, clarificar as regras da reciclagem a todos os que já separam e recolher dados sobre os hábitos e atitudes de reciclagem, a Sociedade Ponto Verde tem em curso, desde dezembro de 2013, a Missão Reciclar, a maior iniciativa de sensibilização para a reciclagem de embalagens alguma vez realizada em Portugal.

Até final de 2014 já foram visitados 1,2 milhões de lares. No final da ação, em meados de 2015, a Missão Reciclar terá contactado 2 milhões de lares e equipado mais de 340 mil lares com ecopontos domésticos. A ação é coordenada com os Municípios e os Sistemas Municipais, proporcionando as condições para que um número cada vez maior de portugueses possa separar os seus resíduos de embalagem para que estes sejam encaminhados para reciclagem.